Este é um convite para PENSANTES que transformam o o estudo, a pesquisa, o dialogo e a reflexão, individual e coletiva, sobre as mais diversas questões relacionadas a natureza, ao meio ambiente, a vida em sociedade e a ação (des) humana no planeta Terra em interessantes momentos de aprendizagem e de construção de uma sociedade mais ética e justa "para todos", pois como dizia o grande mestre Paulo Freire, "Se a Educação sozinha não transforma a sociedade, sem ela, tampouco, a sociedade muda."

sexta-feira

Município de Uberaba - MG

Fundação 1820 (190 anos)

Gentílico uberabense

Lema Indefesse pro Brasilia! "Incansável na defesa do Brasil"

Localização
19° 44' 52" S 47° 55' 55" O

Unidade federativa Minas Gerais
Mesorregião Triângulo Mineiro/Alto Paranaíba IBGE/2008[1]
Microrregião Uberaba IBGE/2008[1]

Municípios limítrofes Indianópolis (N), Nova Ponte, Sacramento (L), Conquista, Delta (SE), Igarapava, Aramina, Miguelópolis (S), Água Comprida, Conceição das Alagoas (SO), Uberlândia (NO), e Veríssimo (O).

Distância até a capital 481 km

UBERABA - MG UM POUCO DE HISTÓRIA

A povoação foi fundada, em 1809, pelo sargento-mor comandante da Companhia de Ordenanças do Distrito do Julgado do Desemboque da Capitania de Goiás, Antônio Eustáquio da Silva e Oliveira. O Julgado do Desemboque correspondia ao atual Triângulo Mineiro menos a região de Araxá que foi elevada a julgado, em 1811, desmembrada do Julgado do Desemboque.
A primeira casa de Uberaba, contruída pelo Sargento-Mór Antônio Eustáquio se localizava na atual esquina da Praça Rui Barbosa com a Rua Artur Machado, do lado esquerdo de quem desce a rua Artur Machado.
O Sargento-mor Antônio Eustáquio era oriundo do Distrito de Glaura, pertencente à antiga Vila Rica, atual Ouro Preto, onde seu pai, João da Silva de Oliveira, fora vereador por três mandatos na época da Inconfidência Mineira e capitão comandante de Glaura.
O Sargento-Mor Antônio Eustáquio, buscando desbravar novas terras na região, realizou duas entradas pelo Sertão da Farinha Podre e foi também fundador, entre os anos de 1810 e 1813, do arraial denominado Nossa Senhora do Carmo dos Morrinhos, atual município de Prata.
Da família fundadora do Uberaba, Sargento-mor Antônio Eustáquio, seus irmãos e primos, o descendente mais ilustre é o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, tetraneto do Capitão-General José Manuel da Silva e Oliveira.
Uberaba surgiu pela migração de geralistas, como eram chamados os habitantes das Minas Gerais na época do Brasil Colônia, os quais deixaram as já esgotadas regiões produtoras de ouro, porém fracas para agricultura, da Capitania de Minas e de Goiás (Desemboque), em busca de terras férteis para se estabelecerem como agricultores e pecuaristas.
Entre estes pioneiros, além dos Silva e Oliveira, estavam, entre outros, os Rodrigues da Cunha originários da Vila de Queluz, atual Conselheiro Lafaiete[5], e os Bernardes da Silveira, Rodrigues Gondim e Alves Gondim vindos de Formiga (Minas Gerais).
O local onde se instalou o Arraial de Uberaba, inicialmente denominado sertão da Farinha Podre, às margens do Córrego das Lages, foi escolhido por existirem, naquela área, formadas por seis colinas (Boa Vista, Estados Unidos, da Matriz, Cuiabá, Barro Preto e a colina da Misericórdia), grande quantidade de nascentes de córregos no alto destas colinas. Sendo que as primeiras "moradas de casas", como se dizia na época, foram construídas próximas às nascentes destes córregos.
As terras do novo arraial pertenciam à Fazenda das Toldas, ainda existente, e foram doadas, em 1812, por seu proprietário Tristão de Castro Guimarães.
O "Arraial" de Uberaba, na época pertencente ao Julgado do Desemboque, Capitania de Goiás, foi elevado à condição de "Distrito de Índios" em 13 de fevereiro de 1811.
Em 1816, a região do Triângulo Mineiro, que na época compreendia o "Julgado do Desemboque" (onde Uberaba se encontra) e o "Julgado do Araxá", deixou de pertencer à Capitania de Goiás e foi anexada à Capitania de Minas Gerais.
Estes dois julgados (Desemboque e Araxá) ficaram pertencendo à Vila e comarca de Paracatu do Príncipe. A comarca de Paracatu foi criada em 1815.
O Sargento-Mor Eustáquio pediu e conseguiu de D. João VI a elevação de Uberaba à categoria de freguesia em 2 de março de 1820 com o nome de Freguesia de Santo Antônio e São Sebastião do Uberaba, desmembrada da Freguesia do Desemboque.
Em 1831 é criada a Vila de Araxá, a qual Uberaba fez parte até sua emancipação política em 1836.
O sargento-mor Antônio Eustáquio foi o líder político de Uberaba até sua morte em 1832, quando assumiu o seu lugar, seu irmão Capitão Domingos da Silva e Oliveira que foi o líder político de Uberaba até sua morte em 1852, e, que conseguiu, em 1836, a emancipação política de Uberaba, então pertencente à Vila de Araxá. O Capitão Domingos havia trabalhado, também, em 1831, para a elevação de Araxá à categoria de vila.
Em 22 de fevereiro de 1836, pela lei mineira número 28, Uberaba foi elevada à categoria de município, a Vila de Uberaba, desmembrando-se de Araxá. Em 7 de janeiro de 1837, é instalada a Câmara Municipal, tomando posse os primeiros vereadores, tendo o Capitão Domingos como seu primeiro presidente. Esta lei número 28 também extinguiu o julgado do Desemboque e o anexou ao município de Araxá.
Em 1840, Uberaba é elevada à categoria de comarca, a Comarca do Paraná, desmembrada da comarca de Paracatu.
Uberaba é elevada da categoria de vila à categoria de cidade em 2 de maio de 1856.
Uberaba, na Guerra do Paraguai, foi passagem das tropas federais, e recebeu o Visconde de Taunay, que assim descreveu a paisagem ao redor de Uberaba:
“-Inúmeros regatos, córregos, ribeirões e possantes rios, semeado de flores, com um sem número de pássaros, aves e animais, todos esquivos e que mal se enxergam escondidos nas matas e capões, inçados de cobras de veneno virulentíssomo, cascavéis, jararacusssus, urutus, todas ariscas, fugitivas, e que só causam dano quando se tem a infelicidade de pisá-las e magoá-las.”
Na década de 1870, criadores de Uberaba introduzem o gado zebu no Brasil.
A sessão da Câmara Geral, atual Câmara dos Deputados, na cidade do Rio de Janeiro, do dia 10 de maio de 1886, foi quase toda dedicada às tumultuadas eleições para deputado, ocorridas em Uberaba, em 15 de janeiro de 1886. Depois de muito debate, a Câmara Geral deliberou por anular as eleições de Uberaba.[6]
Em 1889, chega a Uberaba, os trilhos da Companhia Mogiana de Estradas de Ferro. A autorização para prolongar a Mogiana até Uberaba foi dada pelo decreto imperial nº 8.888 de 17 de fevereiro de 1883.
Em 1899 é criado o "Clube Lavoura e Comércio" com o objetivo de defender a lavoura e a pecuária, combatendo os altos impostos e as interferências do novo governo republicano na atividade rural. É lançado o jornal "Lavoura e Comércio" que, em seu primeiro número, ocupando toda sua primeira página, expõe os ideais dos ruralistas.
Em 1905 é inaugurada a energia elétrica na cidade.
Em 1906 tem início as exposições de gado bovino. Exposições que foram muito prestigiadas pelo Dr. Getúlio Vargas, nas décadas de 1930 a 1950.
Em 29 de setembro de 1907 é criada a Diocese de Uberaba, elevada à categoria de arquidiocese e sede metropolitana em 14 de abril de 1962.
Durante a Revolução de 1924, uma comissão de líderes políticos uberabenses encontra, em Mogi Mirim, o líder tenentista João Cabanas e lhe oferece dinheiro, armas e tropas para que ele e a sua coluna, chamada Coluna da Morte, rumarem para o Uberaba, onde Cabanas proclamaria a criação do "Estado do Triângulo", antiga reivindicação da região, e partirem, em seguida, para Belo Horizonte, para depor o governo mineiro. O tenente João Cabanas conta em seu livro "A Coluna da Morte" que aceitou a proposta, mas, enquanto fazia os preparativos para a partida para Uberaba, pela Companhia Mogiana de Estradas de Ferro, chegaram ordens do comando revolucionário para a Coluna da Morte partir em retirada para o atual Mato Grosso do Sul.
Durante a Revolução de 1932 foram travados combates entre mineiros e paulistas na fronteira com o estado São Paulo, na "Ponte do Delta", que ligava Uberaba ao estado de São Paulo. Uberabenses, liderados por Roberto de Genari, constroem um carro blindado para enfrentar os paulistas na "Ponte do Delta".
Na década de 1940, começam a serem encontrados fósseis de animais pré-históricos na região da antiga Estação de Trem de Peirópolis.
Em 1946, o escritor Monteiro Lobato passou por Uberaba e fez um discurso da Campanha O Petróleo é Nosso.
Durante a elaboração da Constituição de 1946, nos debates da Assembleia Nacional Constituinte, o deputado federal mineiro Juscelino Kubitschek propõe a construção da nova capital do Brasil no Triângulo Mineiro.
Em 10 de setembro de 1950, o dr. Getúlio Vargas, na sua campanha para presidente da república, faz um discurso em Uberaba em defesa da pecuária. Lembrando sua condição de pecuarista, Getúlio diz:
Quero que saibam que lhes vou dizer as coisas na linguagem simples de companheiro! Nossa conversa será no jeito e estilo daqueles que os fazendeiros costumam fazer de pé, junto á porteira do curral. Lutando contra opiniões que combatiam a introdução do gado zebu no Brasil, os fazendeiros do Triângulo Mineiro apoiados exclusivamente no seu próprio trabalho e nos seus próprios recursos arrostaram todos os percalços da tremenda luta que se feriu, e que, afinal, lhes conferiu incontestada vitória. De então para cá, o Brasil Central passou a ter expressão econômica, transformando-o de uma vasta solidão inaproveitada, que era então, no grande reduto econômico e francamente ativo da atualidade.
— Getúlio Vargas
Em 24 de abril de 1952, ocorre uma revolta em Uberaba contra os altos impostos cobrados pelo governo estadual chefiado por Juscelino Kubitschek. O edifício da Coletoria Estadual é destruído, assim como os postos de cobrança de impostos nas entradas da cidade. A revolta só terminou com a chegada de tropas do 4º Batalhão de Caçadores, vindas de Belo Horizonte, de avião, e que ocuparam as ruas do centro de Uberaba portando metralhadoras. A revolta foi notícia no New York Times.[7]
Logo em seguida, procurando se reconciliar com os uberabenses, o governador Juscelino cria a Faculdade de Medicina do Triângulo Mineiro e a instala no edifício onde funcionava a Cadeia de Uberaba.
Em 1956, em Uberaba, acontecem grandes comemorações em homenagem ao seu primeiro centenário de elevação à categoria de cidade.
Em 1957, a senhora Aparecida Conceição Ferreira, a "Dona Cida", funda o "Hospital do Fogo Selvagem", referência nacional no tratamento do pênfigo foliáceo.
Em 1959, fixa residência em Uberaba, o médium Chico Xavier que se tornaria o mais conhecido dos médiuns brasileiros.
A construção de Brasília deu um impulso ao desenvolvimento de Uberaba. Assim, em 1959, a lei federal nº 3.613, de 12 de agosto, assinada pelo presidente Juscelino, ordena que seja implantada e pavimentada, uma rodovia ligando Limeira a Brasília, passando por Uberaba (de São Paulo a Limeira já existia uma rodovia asfaltada). Em junho de 1961, o asfalto chega à divisa São Paulo-Minas Gerais, em Igarapava, e, em 1965, a pavimentação asfáltica da BR-050, entre Uberaba e Uberlândia, é inaugurada pelo presidente da república Humberto de Alencar Castelo Branco.
Transferência do Triângulo Mineiro à Capitania de Minas Gerais
Alvará de 4 de abril de 1816:
"Eu, El Rei, faço saber aos que este meu alvará virem, que tendo creado a nova Comarca de Paracatú, assignando-lhe os limites, que me parecem proprios, na fórma do Alvará de 17 de maio do anno passado de 1815, e representando-me os povos da Campanha do Araxá, que comprehende os dous Julgados e Freguezias de S. Domingos e Desemboque, os grandes incommodos que supportam em viverem sujeitos à Capitania e Comarca de Goyaz, cuja Capital lhes fica em distancia de mais de 150 leguas, sendo lhes penosos os recursos, de que frequentemente necessitam; ao mesmo passo que estando elles sujeitos á Capitania de Minas Geraes e á Ouvidoria de Paracatú que lhes fica próxima, podem ser mais facilmente ouvidos e soccorridos nas suas dependencias, sem serem obrigados a desamparar as suas casas e culturas de suas terras, ficando também mais desembaraçados e promptos para se empregarem no meu real serviço: e querendo eu evitar-lhes tão penosos inconvenientes, e promover as comodidades daquelles povos, que, pela sua industria e digna aplicação á lavoura, se fazem dignos da minha real comtemplação;........Hei por bem separar e desannexar da Capitania e Comarca de Goyaz os ditos dous Julgados e Freguezias de S. Domingos do Araxá e Desemboque, com todo o territorio que lhes pertence; em mando que deste alvará em diante fiquem pertencendo á Capitania de Minas Geraes e á Comarca de Paracatú, fazendo parte dos limites desta....Dado no Rio de Janeiro a 4 de abril de 1816".
Criação da Freguesia de Uberaba
Decreto de 2 de março de 1820:
Cria uma freguesia no distrito de Uberaba (do tupi "água cristalina"), em Minas Gerais, com a invocação de Santo Antônio e São Sebastião de Uberaba, e manda fundar uma capela curada na mesma Freguesia.
"…Sendo-Me presente o grande desgosto que sofrem os colonos estabelecidos no Sertão da Farinha Podre, por se verem privados de socorro e pasto espiritual, sem que o possa obter com facilidade da Freguesia do Julgado do Desemboque, que dali dista mais de 60 léguas: Hei por bem que se estabeleça uma freguesia no distrito de Uberaba até a confluência do rio Paranaíba e rio Pardo, com a invocação de Santo Antônio e São Sebastião de Uberaba, dividindo-se com a Capela de N. S. do Monte do Carmo, e com a Freguesia do Desemboque, por onde mais conveniente for. E Sou outrossim servido, que nesta nova Freguesia haja também uma capela curada, no lugar que mais convier, para comodidade dos habitantes que novamente se acham por ali estabelecidos. A Mesa da Consciência e Ordens o tenha assim entendido, e faça executar com os despachos necessários. Palácio do Rio de Janeiro em 2 de março de 1820.
Com a rubrica de Sua Majestade"
Nota 1: A dita "confluência do rio Paranaíba e rio Pardo", se refere à antiga divisa entre a Capitania de Goiás com a Capitania do Mato Grosso. Nota 2: a Capela de N. S. do Monte do Carmo é a atual Prata (Minas Gerais).
Criação da Vila de Uberaba
"Manuel Dias de Toledo, Presidente da Província de Minas Gerais: Faz saber a todos os seus habitantes que a Assembléia Legislativa Provincial decretou e eu sancionei a Lei seguinte:
Artigo 1- Fica elevado à Vila o arraial de Santo Antônio e São Sebastião de Uberaba, compreendendo no seu município a freguesia do mesmo nome e o distrito de Sacramento (Minas Gerais) da Freguesia do Desemboque, servindo de divisa pelo lado desta povoação a Lagoa dos Esteios e a linha do prolongamento da mesma lagoa até o Rio das Velhas ao Rio Grande.
Artigo 2- É suprimido o julgado do Desemboque, e a parte dele não compreendida no Município de Uberaba é incorporada ao de São Domingos do Araxá.
Artigo 3- Os habitantes do novo município são obrigados a construir à sua custa Casa para sessões da Câmara Municipal, Júri, uma cadeia segura conforme o plano que for determinado pelo governo; antes de verificar-se condição não terá lugar a execução desta lei".
Dada no Palácio do Governo,na Imperial cidade de Ouro Preto, aos vinte e dois de fevereiro 1836.
Ata da instalação do Município de Uberaba
"Ano do Nascimento de Nosso Senhor Jesus Cristo de mil oitocentos e trinta e sete, décimo sexto da Independência e do Império, aos sete dias do mês de janeiro do dito ano, neste Arraial de Santo Antônio e São Sebastião do Uberaba, Comarca do Rio Paracatu do Príncipe, Província de Minas Gerais, em nova Casa, construída pelos Cidadãos do novo Termo, para servir de Paço da Câmara, que vai se instalar, perante os novos vereadores, que hão de formar, eleitos na forma da Lei. E, em presença dos cidadãos que concorreram a este Ato, leu, o Capitão Domingos da Silva e Oliveira, o Ofício da Câmara Municipal da Vila do Araxá, pelo qual o convidava, como cidadão mais votado, a prestar juramento para Presidente da nova Câmara; E declarando que o tinha feito, leu a Certidão do mesmo juramento prestado a 20 de dezembro de mil oitocentos e trinta e seis. Leu a Portaria da Presidência da Província de Minas Gerais, de vinte de julho do dito ano, que ordena a execução da Lei Mineira número 28, que elevou este Arraial à Vila e que lhe marcou seus limites".
Nota: Esta citada casa, construída pelo Capitão Domingos da Silva e Oliveira, para servir de Casa de Câmara e Cadeia de Uberaba, ainda hoje, serve como Gabinete do Prefeito e de Câmara Municipal de Uberaba.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Uberaba#Geografia

GEOGRAFIA - UBERABA - MG

Características geográficas
Área 4.512,135 km²
População 296.261 hab. est. IBGE/2009[2]
Densidade 64,8 hab./km²
Altitude 823 m
Clima tropical de altitude
Fuso horário UTC-3

Topografia
Faz parte do Planalto Arenítico Basáltico da Bacia do Paraná. O relevo varia de plano ligeiramente ondulado na maioria absoluta de área do município, até fortemente ondulado em pequenas manchas de solos podzólicos. Seu relevo é 60% ondulado e 40% plano.

Clima
Temperatura média anual 23,0°C (2007)
Temperatura média - das máximas 30,2°C (2007)
Temperatura média - das máximas dos meses mais quentes (jan. fev. mar. abr. set. out. nov. dez.) 31,4°C (2007)
Temperatura média - das mínimas 17,6°C (2007)
Temperatura Média - das mínimas dos meses mais frios (maio/junho/julho) 13,6°C (2007)
Temperatura mínima absoluta (ocorrida em 03 de junho de 2009) 3,4°C
Umidade relativa - média anual 64% (2007)
Umidade relativa - meses mais secos (agosto/outubro) – (pico 11% em 28 de setembro de 2004) 57%
Precipitação pluviométrica (total) 1.750,9 mm (2007)
Precipitação pluviométrica - mês mais seco (agosto) 0,5 mm (2007)
Precipitação pluviométrica - mês mais chuvoso (dezembro) 428,8 mm (2007)
Número de dias de chuva 127 (2007)
Quantidade máxima de água/dia (ocorrida em 23 de dezembro de 2004) 80,2 mm

Bairros de Uberaba - MG

Bairros de Uberaba
Nossa Senhora Da Abadia Alfredo Freire Alfredo Freire II Alfredo Freire III Amoroso Costa Arquelau Beija – Flor I Beija Flor II Boa Vista Bom Retiro Cássio Rezende Centro Chácara Déa Maria Chácara Santa Clara Chácara Vale do Sol Chica ferreira Cidade jardim Cidade Nova Cidade Ozanan Conjunto Boa Vista Conjunto Habitacional Uberaba Conjunto José Barbosa Conjunto Margarida R. Azevedo Conjunto Morada do Sol Conjunto Silvério Cartafina [Costa Teles]] Costa Teles II Distrito Industrial I Distrito Industrial II Distrito Industrial III Distrito Industrial IV Domingos Mazeta Estados Unidos Euro Park Fabrício Frei Eugenio Flamboyant Residencial Pakr Gameleiras II Gleba Santa Mônica I Gleba Santa Mônica II Grande Horizonte Guanabara Hyléia Indianápolis Irmãos Soares Jardim Alexandre Campos Jardim Alvorada I Jardim America Jardim Bela Vista Jardim Califórnia Jardim Canadá Jardim Copacabana Jardim Eldorado Jardim Elza Amui I Jardim Elza Amui II Jardim Elza Amui III Jardim Elza Amui IV Jardim Espírito Santos Jardim Esplanada Jardim Induberaba Jardim Itália Jardim do Lago Jardim Manhatan Jardim Maracanã Jardim Metrópole Jardim Morumbi Jardim Nenê Gomes Jardim Oneida Mendes Jardim Primavera Jardim Santa Adélia Jardim São Bento Jardim Siriema Jardim Terra Santa Jardim triangulo Jardim Uberaba Josa Bernadino I Josa Bernadino II Jockey Parque José Valim de Mello Leblon Loteamento José Olavo Manoel Mendes Maringá Mercês Morada Das Fontes Morumbi Nossa Senhora Aparecida Nossa Senhora de Lourdes Olinda Pacaembu Parque das Américas Parque Gameleira Parque Mirante Parque das Primaveras Parque São José Peirópolis Planalto Pontal Quinta da Boa Esperança Recanto da Terra Recanto das Torres Recreio dos Bandeirantes Residencial Bandeirantes Residencial Antonia Cândida Residencial 2.000 Residencial Estados Unidos Residencial Mangueiras Residencial Mangueiras Residencial Mônica Cristina Residencial Monte Castelo Residencial Morada Du Park Residencial Parque Dos Girassóis Santa Inês Santa Maria Santa Marta Santos Dumond São Benedito São Geraldo Serra Dourada Serra do Sol Sete colinas Titã Rezende Tutunas Umuarama Univerdecidade Universitário Vila Celeste Vila Esperança Vila Leandro Vila Maria Helena Vila Militar Vila Olímpica Vila Presidente Vargas Vila Raquel Vila São Cristovão Vila São José Vila São Vicente Vilagio Di Fioiri

Hino do Município de Uberaba (MG)

Hino do Município de Uberaba (MG) •

Letra por Ari de Oliveira
Melodia por Gabriel Toti

Da jornada de fé, corajosa
De bandeiras por todo o Brasil,
Tu surgiste, Uberaba formosa,
Na campina, sob um céu de anil.

És Uberaba, o formoso
E mais rico florão,
Desde nosso sertão
Valoroso.
Oh! Grande terra gentil,
Um torrão sem igual,
No Planalto Central
Do Brasil

Não transiges com teu inimigo,
Mas acolhes, gentil, em teu colo,
Os que vêm ao trabalho, contigo,
Procurando elevar o teu solo.

És Uberaba, o formoso
E mais rico florão,
Desde nosso sertão valoroso.
Oh! Grande terra gentil,
Um torrão sem igual,
No Planalto Central
Do Brasil tuas matas, teus campos, teu montes,
De riquezas sem par, peregrinas,
Construíram, entre teus horizontes,
A mais bela das jóias mais finas!

És, Uberaba, o formoso
E mais rico florão,
Desde nosso sertão valoroso.
Oh! Grande terra gentil,
Um torrão sem igual,
No Planalto Central do Brasil.

Hino do Uberaba Sport Club - MG

Hino do Uberaba Sport Club - MG
Letra: Lourival Beduíno do Carmo (Barão)
Música: Rigoleto de Martino

Tenho fulgente história:
Até os deuses já cantam minha glória!
Sou o valente campeão
Que de Uberaba possuo o coração.
Sempre leal e forte,
Sou o denodado Uberaba Sport,
O astro rei, brilhante sol,
A potestade mor do futebol.

Meus jogadores lutam sempre com afeição
Em prol do belo alvi-rubro pavilhão
Nada os retém em seu fervor
Acometendo com ardil e valor.
Em campo altivos, briosos, viris,
Sempre triunfam nas pugnas febris.
Seus peitos tremem de santo ardor
E a glória os beija num lance de amor...

Nobre e liberal,
Meu time não tem rival!
É vencer a sua divisa ideal.
Tem vitórias mil:
É a glória do Brasil!
Ah! Valente Sport
Tão alvejado e sempre forte!
Aleguá!...guá!...guá...Urrah!...Urrah!
Salve! Ó campeão
Da Princesa do Sertão

EMUFE 2010 no Cine Vera Cruz - Palestra Prof. Alan Damas



EMUFE 2010 - Palestra Profª Ms Marise Diniz - Como nasce uma cidade...




EMUFE 2010 - Culminância do Projeto Uberaba 190 anos





EMUFE 2010 - Visita ao Arquivo Público de Uberaba - MG





EMUFE 2010 - Visita ao Arquivo Público de Uberaba - MG





ESCOLA MUNICIPAL URBANA “FREI EUGENIO”
“O Homem Construtor de Sua Caminhada”

PROJETO UBERABA – NOSSA CIDADE, NOSSO LUGAR: ESPAÇOS E PERSPECTIVAS

JUSTIFICATIVA

Uma das competências da escola é promover o conhecimento mediante a construção de conceitos relacionados a cultura, memória e reconhecimento do lugar em que se vive e, de como este lugar se insere na sociedade global.
Nesse sentido, faz-se necessário o desenvolvimento de estratégias que despertem, em todos os envolvidos com a educação escolar, o sentido de pertinência ao seu lugar, a noção da dinâmica social de produção do espaço e, em especial, a compreensão da ação humana como transformadora da natureza. O que nos conduz à percepção de nosso papel de sujeitos históricos/geográficos na construção da realidade – de ontem, de hoje e de amanhã.
Assim, o presente projeto se justifica pela necessidade de, como sujeitos – alunos e professores, possibilitarmos, na escola, a permanente construção e (re) construção de conceitos históricos, geográficos, éticos, sociais e culturais relacionados à constituição da cidade como o “nosso lugar”, de maneira a contribuir para a percepção do sentimento de “pertença” e do nosso papel como sujeitos dessa história em permanente construção.

OBJETIVO GERAL
Contextualizar o momento de comemoração do aniversário de Uberaba mediante o desenvolvimento de atividades que possibilitem, aos alunos, a compreensão do conceito de construção do espaço geográfico e de que esta construção se dá ao longo do processo histórico de ocupação - ação humana, e a intensa transformação da natureza.


OBJETIVOS ESPECIFICOS
• Possibilitar uma maior compreensão da Geografia por meio da elaboração de conceitos relacionados à compreensão de que a ação humana transforma a natureza e constrói o espaço geográfico;
• Promover a construção de conhecimentos sobre a história local mediante o desenvolvimento de atividades interdisciplinares (Geografia, História e Matemática);


DESENVOLVIMENTO

As atividades propostas, conforme cronograma, foram desenvolvidas com a participação das professoras Valéria Freitas, geografia, Valéria Ciabotti, matemática, Mary Soares e Maria Irene, história, nas turmas abaixo relacionadas, no período de 03 a 27 de março de 2010.

MATERIAIS

Textos informativos. Hino de Uberaba, fotos e imagens antigas da cidade, vídeo, câmeras digitais, computadores com Internet, livros didático, papel A4 colorido, lápis de cor, réguas, mapas, entre outros.


ESTRATÉGIAS/CRONOGRAMA
3 a 5/03/2010 Observação de fotos que registram a modificação da paisagem natural e a construção do espaço geográfico; Professora Valéria Freitas
5ª A, 6ª A, B, C, D, E, 7ª A
08/03/2010 Palestra e vídeo sobre a história de ocupação do município com a Professora Ms Marise Diniz, do Arquivo Público; Professoras Valéria Freitas, geografia,Maria Irene, história.
9 a 16/03/2010 Estudo de textos, Hino de Uberaba e elaboração de desenhos (histórias em quadrinhos), a partir de gravuras e fotos que registram estas mudanças e as alterações na paisagem; Professora Valéria Freitas 5ª A, 6ª A, B, C, D, E,

17/03/2010 Presença na apresentação no Cine Vera Cruz – Departamento de Projetos Especiais, relacionada ao aniversário da cidade;Professora Valéria Freitas, geografia e professora Mary Soares, história. 6ª B e 7ª A
18/19/03/2010 Atividade Interdisciplinar: Uberaba 190 anos – a construção do espaço geográfico ao longo dessa história - desenvolvimento de atividades interdisciplinares com as Professoras Valéria Freitas, geografia; Valéria Ciabotti, Matemática; Mary Soares e Maria Irene, História;
24/03/2010 Atividade Interdisciplinar: Espaços e Perspectivas
Desenhos em perspectiva, a partir de gravuras e fotos de Uberaba antiga, que registram as mudanças e as alterações na paisagem; Professora Valéria Freitas, Geografia e professora de Matemática, Valéria Ciabotti com a turma da 7ª A;
24 a 26/03/2010 Uberaba em Dados: pesquisa no laboratório de informática para levantamento de informações e elaboração dos relatórios com registro, análise e conclusão sobre os conhecimentos construídos ao longo do projeto. Professora Valéria Freitas e turmas das 6ª séries A, B, C, D, E;

25/03/2010 Visita ao Arquivo Público de Uberaba - MG; Professoras Valéria Freitas, geografia e Maria Irene, história.
27/03/2010 Culminância na escola: painel com fotos do Arquivo Público, relatórios e desenhos produzidos pelos alunos nas aulas, para visitação das famílias e comunidade da EMUFE - Escola Municipal Urbana Frei Eugênio - Professora Valéria Freitas e alunos das turmas envolvidas;
AVALIAÇÃO
Todas as atividades foram planejadas e desenvolvidas com o objetivo maior de possibilitar a observação permanente do envolvimento e participação dos alunos na proposta de trabalho, da atitude de pesquisa para a construção de novos conhecimentos, do compromisso e autonomia para com a própria aprendizagem e da capacidade de trabalhar em duplas/grupos.
A construção de conhecimentos será avaliada mediante a elaboração de um relatório, desenhos e histórias em quadrinhos, de maneira a registrar a compreensão dos conceitos trabalhados em relação à representação da ação humana na ocupação do espaço, transformação da natureza e construção do espaço geográfico.

Obs. Conforme registrado em relatórios dos alunos as atividades propostas foram interessantes, e contribuíram, entre outras coisas, para que:
- “soubesse das coisas que aconteceram antes da gente nascer”... 6ªC
- Que Uberaba fazia parte de Goiás”...; 6ª B
- “Que Uberaba era um espaço natural, que com a chegada das pessoas virou um espaço geográfico”... 6ª A
- “Que antigamente a Av. Leopoldino de Oliveira tinha um esgoto (córrego) no seu meio e hoje é tampado...” 6ª D
-“Eu fui no Arquivo Público e vi umas coisas muito interessantes e fiquei impressionado demais com as coisas antigas e de luxo”. 6ªC

EMUFE 2009

sábado

Que venha 2010!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Novo ano, novas turmas, tudo novo de novo!!!!! Quantos planos!!! Expectativas mil!!!!!
Que neste ano possamos continuar a construir possibilidades de uma vida mais plena e feliz, mediante o alcance de nossos sonhos, ideais e metas - pessoais e profissionais.

BOAS VINDAS!!!!!!!!!!!!

PARA PENSAR - *Entre ter razão e ser feliz, escolha ser feliz!!!!!*

EMUFE 2009

EMUFE 2009

EMUFE 2009

quarta-feira

TURMA 6ª E - 2009 - SEMINÁRIOS

TURMA 6ª E - 2009 - SEMINÁRIOS

TURMA 6ª A - SEMINÁRIOS 2009

TURMA 6ª D - 2009

TURMA 6ª E 2009 - PESQUISA E ELABORAÇÃO DE RELATÓRIOS

TURMA 6ª E 2009

TURMA 6ª A - APRESENTAÇÃO DOS GRUPOS DE PESQUISA

TURMA 6ª E - APRESENTAÇÃO DOS GRUPOS DE PESQUISA

TURMA 6ª E - SEMINÁRIOS 2009

ESCOLA MUNICIPAL URBANA FREI EUGENIO

GEOGRAFIA - TURMAS 6ª SÉRIES – 2009

PLANEJAMENTO OUTUBRO/NOVEMBRO/DEZEMBRO - Professora Valéria de Freitas Oliveir

INTERVENÇÕES E OBJETIVOS:

•Apresentação, discussão e reflexão sobre a questão do “bullyng” no espaço escolar – causas e conseqüências.
•Trabalhar a construção de maior respeito ao outro, mediante a realização de duplas/grupos e apresentação de trabalhos que integrem os alunos;
•Propiciar situações de protagonismo do aluno, destacando suas habilidades, para que consigam se envolver com as questões do conteúdo e se concentrar na realização das atividades.
•Incentivar a construção de hábitos de estudo, leitura e elaboração de diferentes tipos de textos de maneira a possibilitar a construção e apresentação de idéias e opiniões próprias;
•Estimular, com diferentes atividades, o desenvolvimento de suas potencialidades, de maneira a incentivar sua capacidade de aprendizagem mediante a construção de novos conhecimentos e uma maior interação da turma.


CRONOGRAMA
TEMPO
03 aulas/semana/turma
ATIVIDADES
Trabalho de integração da turma
(01 aula/dia)
PROJETO “A paz é fruto da justiça”
Apresentação, discussão e reflexão sobre a questão do “bullyng” no espaço escolar.
Trabalho com o conteúdo curricular

(02 aulas/dia)
Planejamento de aulas no laboratório de informática
PROJETO “Viajando pelo Brasil”
BRASIL: Regiões e Complexos Regionais
Concepções, conceitos, dados e informações.

Trabalho de integração da turma
(1 aula/dia)
(01 aula/dia)
PROJETO “A paz é fruto da justiça”
Construção de dados – conceitos e preconceitos
Diversidade social e cultural e a aprendizagem da ética nas relações humanas: exercício da cidadania


Trabalho com o conteúdo curricular
(2 aulas/dia)

(02 aulas/dia)

06 a 13/11 – pesquisa e painel

16 a 20/11 – elaboração dos relatórios

23 a 27/11 - SEMINÁRIOS - APRESENTAÇÃO DOS GRUPOS DE PESQUISA
PROJETO “Viajando pelo Brasil”
Roteiro de estudo e pesquisa:
Complexo Nordestino: relacionar a prática do turismo aos aspectos físicos da região;
Complexo Amazônico: identificar as práticas e atividades econômicas que ameaçam o bioma (floresta) predominante no norte do país;
Centro Sul:
- identificar e localizar em mapas o estado da região sul que sofre com o processo de desertificação do solo, decorrente de práticas inadequadas da agropecuária no passado;
- Identificar os aspectos físicos e econômicos do Pantanal Matogrossense;
- destacar as atividades econômicas, o potencial industrial e o desenvolvimento do sudeste brasileiro.

Dezembro: CULMINANCIA DAS ATIVIDADES, SEMINÁRIOS E CONFRATERNIZAÇÃO DAS TURMAS

PROJETO “Viajando pelo Brasil” - COMPLEXOS REGIONAIS BRASILEIROS

Roteiro de estudo e pesquisa (em grupos)

CONTEÙDO:

Complexo Regional Nordestino: identificar as 4 regiões que integram o Nordeste (Zona da Mata, Agreste, Sertão e Meio Norte) e relacionar a prática do turismo aos seus aspectos físicos;
Complexo Regional Amazônico: identificar as práticas e atividades econômicas que ameaçam o bioma (floresta) predominante no norte do país;
Complexo Regional Centro Sul:
- identificar e localizar em mapas o estado da região sul que sofre com o processo de desertificação do solo, decorrente de práticas inadequadas da agropecuária no passado;
- Identificar os aspectos físicos e econômicos do Pantanal Matogrossense;
- destacar as atividades econômicas, o potencial industrial, o desenvolvimento do sudeste brasileiro e sua relação com os índices de qualidade de vida da população (dados sobre empregos, segurança, saúde, educação) e a violência urbana expressa nas manchetes diárias.

MATERIAL: Livro de geografia da turma, outros livros, revistas, jornais, câmera fotográfica (fotos e vídeos) computadores e Internet,

ESPAÇOS: salas de aula, biblioteca e laboratório de informática;

DESENVOLVIMENTO:
1. Construção de um painel temático: Brasil diverso, complexo e contraditório – com recorte de jornais e revistas, caracterizando os aspectos culturais, econômicos e sociais de cada região e/ou complexo regional;
2. Pesquisa e elaboração de relatórios com introdução, análise e conclusão sobre os conhecimentos construídos;
3. Apresentação de Seminário (grupos de pesquisa); (2ªf – B e C; 4ªf A e D, 6ªf E)
4. Blog Pensantes da EMUFE – postagem do material de apresentação, relatórios e fotos das turmas, ao longo do desenvolvimento do trabalho.
http://pensantesdaemufe.blogspot.com

AVALIAÇÃO:
*Serão observadas permanentemente o envolvimento, a participação e à construção de novos conhecimentos e de atitudes mais éticas, relacionadas ao trabalho desenvolvido com o PROJETO “A paz é fruto da justiça”.

TURMA 6ª E - SEMINÁRIOS - COMPLEXOS REGIONAIS

TURMA 6ª E

TURMA 6ª D

TURMA 6ª C - ESTUDANDO OS COMPLEXOS REGIONAIS

6ª B - CONSTRUÇÃO DO PAINEL TEMÁTICO - COMPLEXOS REGIONAIS

SEMINÁRIOS - COMPLEXOS REGIONAIS


TURMA 6ª A - MATUTINO